Buscando uma Aula de Violão Iniciante, mas não sabe onde encontrar um bom curso?

E se você soubesse que com apenas algumas informações seria possível aprender o básico no violão?

aula de violão iniciante
Se você tem interesse em aprender algo novo, confira nossa Aula de Violão Iniciante no decorrer desse artigo.

Aula de violão iniciante: Por onde começar?

Quando falamos em Aula de Violão Iniciante nos referimos a uma aula para quem nunca teve experiência com esse instrumento.

Publicidade

A vontade de aprender a tocar violão não é algo incomum.

Muitas pessoas apreciam o instrumento e até chegam a procurar umas aulas de violão.

Publicidade

Se esse é o seu caso, é porque você entende que fazer um curso de violão vai possibilitar que você aprenda essa habilidade tão empolgante, impressionante e que conquista tanta gente.

Se você protelou isso até hoje, provavelmente é porque te falta tempo, paciência ou coragem, certo?

Você vai gostar de saber que trouxemos técnicas e métodos que vão te dar a base que você precisa para tocar esse instrumento com maestria em um futuro bem próximo.

Publicidade

Tendo o violão, a vontade e a disponibilidade, sua primeira lição é aprender cada parte do instrumento.

Aprenda a identificar as partes do violão

Para seguir comandos sobre onde segurar, onde pressionar ou onde apoiar, é inevitável que você se depare com nomenclaturas.

A todo momento você vai ter que pressionar a corda em cada casa.

Mas de que serve esse comando se você não souber o que são e onde ficam as casas?

É por isso que conhecer as partes do violão é tão importante:

  • Mão ou cabeça: parte superior do violão onde estão situadas algo como pequenos botões (tarraxas) que sustentam as cordas enroladas
  • Pestana: ponto de junção entre a cabeça o braço. É por onde as cordas fica em suas posições fixas
  • Braço ou pescoço: parte fina e ereta que fica entre a mão e o corpo do violão. Nela, ficam esticadas as cordas do instrumento onde você deve pressionar as notas
  • Trastes: divisões metálicas dispostas no pescoço do violão. Você pode identificá-las como linhas horizontais que ficam nessa parte do instrumento
  • Casas: entre um traste e outro existe um espaço que chamamos de casas. Cada casa tem uma identificação para facilitar o manuseio do instrumento
  • Corpo ou peito: a ampla “caixa” que fica na parte inferior do instrumento. O corpo funciona como uma caixa acústica para amplificar o som produzido pelas notas do violão
  • Boca ou roseta: orifício destacado no corpo do violão por onde o som se propaga
  • Tábua da roseta: parte ou desenho que fica ao redor da roseta
  • Cordas: “fios” de aço ou nylon distribuídos entre a cabeça do violão e a ponte
  • Ponte ou cavalete: parte final do violão onde as cordas terminam.

Aprenda a segurar o violão antes de tocar

O jeito certo de segurar o violão evita que você tenha dificuldade para identificar as casas, dedilhar as cordas e manusear o instrumento como um todo.

A melhor forma de segurar o violão é quando você o apoia em uma das pernas.

Para quem vai tocar músicas clássicas, o mais indicado é apoiar na perna esquerda.

Já quem vai tocar outros tipos de ritmos como música popular, o melhor é apoiar o instrumento na perna direita.

Depois de apoiar, você deve deixá-lo levemente inclinado para conseguir uma boa postura e posicionamento das duas mãos.

Ao segurar, procure sempre deixar seu peito reto, isso vai melhorar a sua respiração e a movimentação dos braços.

Enumere seus dedos

Quando você atribui uma numeração para seus dedos indicador, médio, anelar e mindinho, fica mais fácil criar um sistema de codificação.

Assim, você assimila mais rapidamente quais dedos posicionar ou pressionar e onde fazê-lo.

Posteriormente, essa numeração vai te indicar a formação de acordes, por exemplo:

  • 1 – Indicador
  • 2 – Médio
  • 3 – Anelar
  • 4 – Mindinho.

Lembre-se, o dedão da mão esquerda tem apenas a função de apoio da mão sobre o braço, ele não é utilizado para pressionar as cordas.

Notas musicais

Em todos os instrumentos, incluindo o violão, aparecerão 7 notas musicais com 12 alturas.

Essas notas são somadas a diversas regiões, indo do mais grave ao mais agudo no que consideramos Oitavas.

Oitavas são nada mais nada menos que um intervalo de 8 notas.

No geral a ordem das notas na Escala de DÓ segue assim:

  • DÓ – RÉ – MI – FÁ – SOL – LÁ – SÍ – DO…

Entre essas notas temos os acidentes de cada uma, caracterizados pelos símbolos:

  • # – Sustenido (Quando avançamos 1/2 tom para frente da nota, ex: DÓ – DÓ# – RÉ – RÉ#…)
  • b – Bemol (Quando voltamos 1/2 tom para trás da nota, ex: (RÉ – RÉb – DÓ – DÓ#).

Nesse caso acima, as notas DÓ# e RÉb são as mesmas, porém com nomenclaturas diferentes.

Não se esqueça que quando voltamos de uma nota para outra e ela é um acidente (#) ela se torna a nota da frente com (b) e vice e versa.

Outro detalhe é que entre SÍ e DÓ e também MI e FÁ não existem acidentes, a ordem na Escala Cromática (seguindo casa por casa no violão) fica assim:

  • DÓ – DÓ#(RÉb) – RÉ – RÉ# (MIb) – MI – FÁ – FA#(SOLb) – SOL – SOL#(LÁb) – SÍ – DÓ…

As notas vão se repetindo ao caminhar pelo braço do violão, sendo possível encontrar a mesma nota só que com tonalidades graves, médias e agudas.

Isso tudo vai depender da casa pressionada e corda escolhida.

As notas musicais, geralmente, são representadas por letras de A à G:

  • A – Lá
  • B – Sí
  • C – Dó
  • D – Ré
  • E – Mi
  • F – Fá
  • G – Sol.

Contagem de cordas

Outro detalhe a prestar atenção, são como são contadas as cortas.

É a partir desse conceito que você vai identificar notas mais graves e agudas.

No violão as cordas são contadas de baixo para cima, ou seja, a mais fina e última é a 1ª corda e a primeira mais grossa é a 6ª corda.

Nesse caso podemos pensar na seguinte ordem com suas respectivas notas:

  1. Corda – E
  2. Corda – B
  3. Corda – G
  4. Corda – D
  5. Corda – A
  6. Corda – E.

Uma vez que essas etapas básicas estiverem totalmente assimiladas, você já estará pronto para os passos seguintes.

Veja no tópico a seguir o que pode te ajudar quanto a isso!

Como aprender de forma autodidata?

O processo de aprender algo por si mesmo nunca é moleza.

Mesmo com nossa aula, o aprendizado autodidata só será um sucesso se você colocar alguns recursos em prática.

Conhecer os fundamentos do violão

Geralmente, quem quer aprender a tocar violão sozinho fica ansioso para já estrear grandes sucessos.

Mas, lembre-se que a teoria é muito importante.

Aprender fundamentos que vêm antes da prática é de grande ajuda, como:

  • Afinar seu violão
  • Trocar as cordas do instrumento
  • Segurar corretamente a palheta
  • Teoria musical
  • Treinamento percepto-auditivo (tirar músicas de ouvido).

Use o metrônomo e obtenha ritmo para tocar o violão

Você sabia que o ritmo representa 50% de qualquer música?

Isso significa que o estudo dela precisa fazer parte da sua rotina.

Acertar as notas não vai fazer muita diferença se você não fizer isso no ritmo correto.

É como escrever um texto na grafia perfeita e errar toda a pontuação.

Certamente isso vai dificultar a fluidez da leitura do mesmo jeito que a canção fora do ritmo vai dificultar que ela seja compreendida.

Procure sempre filmar e gravar a sua performance

Ao filmar e gravar a sua performance, você encontra um recurso que fará o papel do instrutor de violão.

Como você não contará com um profissional que vai ver e ouvir sua performance para avaliar sua técnica, é bom que você use a tecnologia a seu favor.

A partir da filmagem e da gravação, você consegue identificar com mais precisão as notas falhas, além de fazer a correção dos erros e da sua postura.

Use todos os vídeos para analisar a extensão do seu progresso, para limpar a sua apresentação e para motivar a sua melhora.

Pratique todos os dias

Se aprender violão não é fácil, pode apostar que aprender violão sozinho pode ser ainda mais desafiador.

Tudo fica bem mais fácil com a dedicação e a prática constante.

Diferente da regularidade imposta pelas aulas regulares de violão, ao aprender sozinho você mesmo deve estipular um horário de estudo.

É muito melhor praticar um pouco todos os dias do que ficar dias sem treinar, só assim você vai progredir.

Falando em progresso, que tal começar a arregaçar as mangas, agora que você já aprendeu o básico?

Passo a passo para tocar violão (Iniciando com acordes abertos)

Você entendeu os conceitos básicos, então precisa colocar em prática.

Confira abaixo mais informações que te ajudarão na próxima etapa de aprendizagem do instrumento.

A forma dos acordes abertos

Eles são chamados de abertos por terem todas as cordas tocadas.

Uma atenção deve ser feita para evitar que os seus dedos abafem algumas cordas soltas enquanto pressiona determinadas casas no braço do violão.

Os acordes podem ser maiores ou menores.

Os acordes maiores são caracterizados pela letra M maiúscula ou sem ela, ex: A (LÁ maior)

Os acordes menores são caracterizados pela letra M minúscula, ex: Em (MI menor)

Você vai encontrar sempre uma dessas definições e com alguns outros acidentes (7, 9, 11, 7M, 7m, etc).

O mais importante é dominar os shapes de cada acorde maior e menor.

Comece pelos dois acordes mais fáceis: Em (MI menor) e A (LÁ maior).

Numerando as cordas de 1 a 6 (de baixo para cima) para fazer o acorde Em (MI menor):

  1. Pressione a casa 2 da 5ª corda com o dedo médio
  2. Pressione a casa 2 da 4ª corda com o dedo anelar
  3. Toque com o dedão todas as cordas, cuide para não abafar as cordas que não foram pressionadas nas casas.

Para fazer o acorde de A (LÁ maior) seguindo as mesmas orientações do artigo:

  1. Pressione a casa 2 da 4ª corda com o dedo indicador
  2. Pressione a casa 2 da 3ª corda com o dedo médio
  3. Pressione a casa 2 da 2ª corda com o dedo anelar
  4. Toque com o dedão todas as cordas, cuide para não abafar as cordas que não foram pressionadas nas casas.

Pronto, você acaba de aprender dois acordes presentes em diversas músicas.

Teste o som com os dedos ou uma palheta

Está na hora de testar o som produzido.

Para isso, mantenha as cordas pressionadas fortemente com os dedos de uma mão e com a outra tente fazer uma batida.

Caso o acorde saia mudo, use ainda mais força na pressão.

Se você ouvir um zunido ao tocar, tente distanciar os dedos dos trastes do pescoço.

Experimente colocar os acordes em sequência

Anteriormente você tentou as batidas uma por vez.

Agora, pratique ir e voltar entre os acordes A (LÁ maior) e o Em (MI menor):

  1. Toque com o dedão umas 6 vezes para cima todas as cordas e para baixo com o acorde Em (MI menor)
  2. Reposicione a sua mão para bater o acorde A (LÁ maior) e depois bata mais 6 vezes para cima todas as cordas e para baixo esse acorde
  3. Faça isso até sentir que pegou um pouco do jeito.

Use padrões e ritmos diferentes

Está satisfeito com a sonoridade que você produziu?

Publicidade

Então tente bater em ritmos diferentes:

  • Tocar a batida clássica 4/4: Contada de 1 a 4, busque um andamento mais devagar contando 1, 2, 3 e 4 (repita para dar continuidade ao ritmo)
  • Mudar a sequência da batida: se sentir seguro na batida 4/4 pode dar a liberdade de tentar outros compassos como 3/4, 2/4, etc
  • Mudar a frequência da batida: se você tocava uma vez para cima/baixo no tempo da batida, tente tocar duas vezes ou mais
  • Testar os sons produzidos até atingir um ritmo interessante: tenha a liberdade de experimentar seguir um ritmo seu ou acompanhando uma música
  • Testar a velocidade incorporando batidas mais rápidas ou mais lentas: isso permite um controle ritmo melhor.

E então, orgulho de si mesmo?

Antes de passar para outros tipos de acordes, pratique esse por mais uns dias e então passe para o próximo.

Com as dicas que você aprendeu nesta Aula de Violão Iniciante, não vai demorar muito para você avançar para os próximos passos.

Acompanhe nosso blog e fique sempre informado sobre novos cursos!